Etiquetas

,

Qualquer pessoa que esteja algo familiarizada com o pensamento estratégico maoísta ficará convencida que para alguns professores, em particular os que integram alguns movimentos autónomos, o “inimigo principal” são os sindicatos e não as políticas públicas de educação de cariz claramente neo-liberal, que tanto são aplicadas por Pinto de Sousa como por Menezes ou Portas.

Os defensores da “devolução integral e imediata da dignidade perdida” acenam com o fantasma das “vitórias de Pirro”. Por mim prefiro o pensamento estratégico de Sun Tzu (feitios…)

No meio de tudo isto, e por falar em maoísmo, dei por mim a pensar que afinal talvez Menezes ainda repita Cavaco. À falta de maoístas disponíveis para aderir às suas teses anti-tudo, ainda sobram por aí uns quantos anarquistas com estaminé montado na blogosfera, que até passaram a citar e repisar os argumentos laranjinhas…