Etiquetas

,

Um pequeno núcleo dos Professores Unidos de Lisboa e concelhos próximos deslocou-se, neste sábado, à zona sindical de Santarém-Oeste, pertencente à Direção Regional de Santarém do SPGL.

O grande promotor e dinamizador desta jornada cultural, recreativa, gastronómica e de trabalho sindical foi o professor-sindicalista-autarca Augusto Figueiredo que, apesar das inúmeras tarefas em que se desdobra o seu dia-a-dia, conseguiu reservar um dia para nos explicar como é que se transforma em possível aquilo que à partida damos como impossível e completamente perdido.

O dia começou com uma visita a um dos muitos exemplos de como o capital esbanja o património natural e os recursos do país, como é o caso de um empreendimento turístico-urbanístico-desportivo – o Clube de Golfe Golden Eagle.

Portariagoldeneagle-entrada

Trata-se de um projeto que nasceu com a perspetiva de lucros prometida pela implantação do aeroporto da Ota e do TGV Lisboa-Porto, mas do qual apenas ficou um campo de golfe de 18 buracos (onde se disputou o Portugal Ladies Open de 2009).

Golden Eagle Coursegoldeneagle-campo

Do sonho de lucros fantásticos para o setor financeiro e imobiliário ficaram as maquetes que ainda estão disponíveis no stand de vendas do empreendimento.

Sonho

goldeneagle-desenho

Realidade

goldeneagle-imobiliário

Mas como há outros sonhos e utopias que, pela força da sua razão, acabam por se impor e tornar-se realidade, o Presidente da Junta da Asseiceira-Rio Maior fez questão de nos lembrar que a luta da população da sua freguesia foi capaz de impor a mudança de trajeto da Estrada Nacional n.º 1 e obrigou os decisores políticos a fazerem o que o povo lhes exigiu. Da mesma maneira que o esforço, a determinação e o trabalho de um punhado de sonhadores foi capaz de construir no alto de uma serra, pobre e esquecida pelo poder central, uma cooperativa pujante e que é um exemplo de economia e desenvolvimento social, não só no país como no estrangeiro.

A paragem no cruzamento em que a antiga EN1 passou a IC e onde no próximo 25 de Abril será inaugurado um monumento à resistência e determinação das populações, em defesa da vida e contra os atropelamentos mortais que ali ocorriam, a visita à Cooperativa Terra Chã, o almoço e a sessão de trabalho ali realizados, o passeio pela serra com visita às dolinas na estrada entre Mosteiros e Porto de Mós, constituíram momentos marcantes de um dia cheio de aprendizagens significativas, quer do ponto de vista cultural, quer político, que ficará sempre na nossa memória.

O dia terminou com uma breve visita ao Centro de Alto Rendimento de Rio Maior e com uma paragem frente à Escola Superior de Desporto de Rio Maior, que constitui mais um exemplo de esbanjamento de dinheiros públicos por motivos exclusivamente partidários.

A história conta-se em meia-dúzia de pinceladas: umas instalações e um projeto exemplares, uma escola que em três anos consecutivos esgota as vagas de acesso na primeira candidatura ao ensino superior, a inveja e o preconceito das gentes instaladas no politécnico da capital de distrito e um ministério que asfixia financeiramente a escola, traduzem-se na degradação rápida e galopante do edificado, obrigando a autarquia a assumir as responsabilidades financeiras do poder central e a recorrer à justiça para tomar posse administrativa das instalações, na tentativa de evitar a destruição de uma iniciativa de grande interesse nacional.

No final a certeza de que o Possível é apenas o Futuro do Impossível e só depende da determinação, da persistência e do trabalho que estivermos decididos a realizar para o concretizar.

Anúncios