Etiquetas

O governo de Passos Coelho tem uma verdadeira propensão para a mentira e a trapalhada que consegue ultrapassar de longe os tempos aureos de Socrates.

Exemplares a prescrever rigor e exigência ao cidadão comum, os atuais ministros deixam o rigor e a exigência bem guardados quando se trata dos assuntos que tutelam ou lhes dizem respeito. Vejam -se as trapalhadas de Relvas, ou os desvarios de Crato no que diz respeito às alterações curriculares ou, mais recentemente, aos critérios  para mandar professores para a prateleira (horários  zero) ou para o desemprego (contratados).

A mais recente trapalhada é a história da avaliação das fundações, com várias a acusarem o governo de ter cometido erros crassos na atribuição das pontuações, culminando com a carta aberta do reitor da UL, hoje publicada no Expresso

Advertisements