Etiquetas

,

A candidatura da LISTA B propõe uma mudança na forma de encarar o sindicalismo docente que só pode ser concretizada com professores que conheçam profundamente a realidade das escolas e as necessidades e anseios da classe docente, porque o seu quotidiano sempre esteve intimamente ligado à sala de aula e à relação com os alunos e os seus colegas.

Entre os oito candidatos à chamada “área da presidência” há cinco atuais delegados sindicais e apenas a candidata indicada para a coordenação regional de Santarém já foi dirigente sindical do SPGL num anterior mandato;

Nenhum dos candidatos à presidência da Mesa da Assembleia Geral, Conselho Fiscal e Conselho Geral exerceu alguma vez cargos dirigentes no SPGL, embora sejam pessoas com larga experiência em funções idênticas àquelas para que se propõem.

Esta escolha criteriosa dos candidatos releva de um entendimento do que deve ser a organização e intervenção sindical, que para a LISTA B tem que assentar numa rede de delegados sindicais que façam uma ligação permanente entre os professores e os dirigentes.

É esta organização em rede, em que cada delegado constitui um nó que a fortalece, que pode permitir um conhecimento mais profundo das necessidades dos professores, dos problemas com que se confrontam e das formas concretas para os resolver.

O nosso lema encerra em si um programa de ação ambicioso porque, mais do que simples retórica, se trata de um compromisso individual, que assumimos solidariamente:

Tempo de Lutar, Tempo de Mudar
Um Sindicato Presente nas Escolas
Professores Unidos em Defesa da Escola Pública

Anúncios