Etiquetas

Num contexto de enorme ataque aos direitos de quem vive dos rendimentos do seu trabalho, em que a cartilha dos economistas e comentadores mainstream apenas tem como solução baixar os rendimentos do trabalho e piorar as condições de vida das classes mais baixas, é escabroso que se saiba que o número de multimilionários aumentou a nível mundial.

No caso português, com um governo que apregoa pergaminhos de esquerda e um candidato à sua sucessão que propõe mais privatizações e menos direitos para quem trabalha, já nem um sobressalto cívico será suficiente para repor a injustiça que é saber-se que os dois portugueses mais ricos aumentaram as suas fortunas em 1,4 mil milhões de euros, ao mesmo tempo que os trabalhadores portugueses vêm os seus salários reduzidos, os impostos sobre o trabalho aumentados e agravadas as condições do trabalho e da segurança na saúde e na reforma.

Também por isso é uma exigência cidadã participar nas manifestações que se vão realizar amanhã, dia 12 de Março, e também no sábado dia 19, para mostrar à direita (ao centrão que governa há 35 anos) que existe um outro caminho e que é preciso valorizar o trabalho e realizar uma distribuição equitativa da riqueza produzida pelos portugueses.

Anúncios