Etiquetas

, ,

O Octávio Gonçalves respondeu ao meu post anterior, auto-intitulando-se de “malandro de além-marão“. Cada um escolhe para si os títulos que quer, embora não possa ter todos os títulos que gostaria de ter. Essa é uma verdade com que, parece, o Octávio convive mal desde meados de 2007. E agora já não há remédio, porque o título tão desejado foi extinto, por causa do acordo que ele tanto verbera.

Na resposta que escreveu ao meu post, o Octávio acusa-me, entre outras coisas, de ser incompetente para contestar as “metodologias de pesquisa e inquirição” que utilizou para concluir  «Contando com cerca de 900 respondentes, os resultados desta sondagem não deixam margem para dúvidas sobre a rejeição dos professores face ao Acordo de Princípios:
– 85% dos professores consideram o Acordo de Princípios NEGATIVO, sendo que 32% o consideram mais negativo que positivo e 53% o avaliam como sendo muito negativo.
– apenas 12% dos professores o consideram mais positivo que negativo e só uma faixa marginal de 1% o concebe como muito positivo. ».

Sugere mesmo, face à incompetência científica que me atribui, que lhe solicite uma lista de literatura sobre a matéria.

De facto, caro Octávio, uma vez que não tenciono realizar nenhuma sondagem sobre o acordo, não te vou solicitar qualquer lista bibliográfica sobre tão iniciática matéria.

No entanto sou capaz de ter o topete de te pedir que me esclareças, sobre a tua “sondagem” e o seu resultado, o seguinte:

  • que dispositivos é possível utilizar no teu (ou no meu) blogue, para garantir que todos os respondentes são professores do ensino pré-escolar, básico e secundário?
  • será verdade que, como me dizem outros “não peritos” em sondagens, a mesma pessoa pode responder mais do que uma vez a um desses inquéritos/sondagens nos blogues, desde que utilize IP’s e endereços electrónicos diferentes?
  • se não for possível garantir que todos os respondentes são professores e em simultâneo que nenhum responda mais do que uma vez, ainda assim o resultado tem significado para a análise política que pretendes fazer?

Meu caro Octávio, conto com a tua indulgência para com este professor inculto em matéria de “metodologias de pesquisa e inquirição”. É que se já tenho que conviver com o meu incómodo quanto aos cavaleiros que arremetem contra moinhos de vento, ainda por cima ter que viver nesta dúvida angustiante, sobre as questões que te coloco, seria um verdadeiro drama para este ex-titular por obra e graça do acordo que detestas.

Anúncios