Etiquetas

Na entrevista que deu ontem à noite à RTP, o 1º ministro José Pinto de Sousa admitiu que, da parte do Governo, “talvez não tivesse havido suficiente delicadeza no tratamento com os professores”.

Hoje, antes que alguém pensasse que era mulher para assumir culpas alheias, a ME Maria de Lurdes Rodrigues admitiu a existência de problemas, mas considerou que, pessoalmente, aprendeu “muito” com o processo da reforma da carreira docente e de negociação com os sindicatos dos professores.

Daqui se conclui que a culpa pelas indelicadezas não deverá ser assacada à ministra.

Como o 1º ministro, José Pinto de Sousa, não esclareceu junto da entrevistadora, Judite de Sousa, quem teria cometido as indelicadezas contra os professores, aguardam-se agora os desmentidos dos secretários de Estado Jorge Pedreira e Valter Lemos, aos quais se deverão juntar as juras de amor pelos professores por parte dos ministros Pedro Silva Pereira e Augusto Santos Silva, que sempre que ridicularizaram as reclamações dos professores e dos seus sindicatos o fizeram de forma delicada e sem intenção de ofender ninguém.

Anúncios