Etiquetas

, ,

O Ministério da (des)Educação, que devia ser um bastião em defesa da Formação para a Cidadania, através da sua equipa (des)educativa composta por MLR, VL e JP persite na sua cruzada anti professores. É disso exemplo o anúncio de mais um adiamento do prazo de candidaturas ao «óscar» dos professores, vulgo Prémio Nacional de Professores.

Bem sei que 25.000€ é muita massa. Sobretudo para profissionais que, sendo dos que detém maiores e melhores qualificações académicas, são dos mais mal pagos do país. Mas, como acredito que ainda existe um mínimo de decoro e de dignidade entre os profissionais da educação, confio que de adiamento em adiamento este ano não haverá candidatos a substitutos de Armandinas, Arsélios e quejandos!