Nas últimas décadas e em especial nos últimos três anos os gestores públicos da Educação Nacional resolveram culpabilizar os professores por todos os erros e maus resultados do Sistema Educativo.

A actual equipa ministerial e em particular o secretário de Estado Valter Lemos, que de acordo com os “mentideros” socialistas é o encarregado de tratar dos “negócios de mercearia” do ministério, vulgo os problemas relacionados com a gestão do pessoal docente, especializou-se na assinatura de uns quantos despachos que violam as leis da República.

Entre os diversos documentos assinados pela sua fúria legislativa, o senhor secretário de Estado resolveu que a sua opinião era a Lei e decidiu que os professores deviam dar aulas de substituição dos colegas que faltavam, sem serem pagos por esse serviço extraordinário, como determinava o ECD em vigor até Janeiro de 2007. Como resultado dessa arrogância, o erário público vai ter que suportar agora um encargo de vários milhões de Euros.

Se estivéssemos num país em que os titulares dos cargos públicos fossem responsáveis pelos seus actos, o senhor secretário de Estado seria obrigado a responsabilizar-se pessoalmente pelas verbas que os contribuintes vão ter que suportar. Como estamos numa espécie de república sem rei nem roque, para o ano que vem o dr. Valter Lemos arranjará uma reforma dourada numa qualquer empresa pública ou privada, que os camaradas da rosa lhe arranjarão como retribuição pelos bons serviços prestados.

Requerimento Horas de Substituição