O sr. Professor Doutor Vital Moreira devia exigir de si próprio aquilo que costuma exigir aos outros: ser um pouco mais rigoroso. Até porque mentir é muito feio, além de revelar um espírito de desonestidade que não abona a favor de quem usa o título de Professor Doutor.

Vamos então por partes.

  • No dia  7 de Março o sr. Professor Doutor publicou o texto Os professores, o qual me mereceu uma réplica publicada neste blogue no dia 10 de Março.
  • Nesse mesmo dia 10  enviei o referido texto, por correio electrónico, ao sr. Professor Doutor Vital Moreira.
  • Ainda no dia 10, cerca de 4 horas depois, o sr. Professor Doutor Vital Moreira respondeu ao meu email da forma que transcrevo, sem querer comentar a sintaxe (não os erros de digitação) que revela algum transtorno emocional do autor:

    Quem trata outro professor como “professor” entre aspas mostra bem a sua má-fé.

    Há uma coisa que me distingue dos manifestantes: eu não rejeito enm temmo a avaliação profissional para efeitos de progressão na carreeira e de remuneração.

    Passe bem.

    Vital Moreira

  • Dois dias depois, no  blogue que mantém com outras personalidades da sua área política, o sr. Professor Doutor Vital Moreira escreveu um novo post em que transformava o meu texto, enviado pessoalmente e com identificação clara e visível (n.º de BI incluído), num comunicado de uma associação de professores a que pertenço – APEDE.

  • Hoje dia 13 de Março, interpelado por um colega meu, o sr. Professor Doutor Vital Moreira teve o desplante de lhe responder que «Isso é uma vigarice. Ninguém em enviou nada. Encontrei o texto num comentário do Abrupto, em nome da tal associação. Seja como for, no que me diz respeito, trata-se de uma pura invenção, o que diz muito da falta de seriedade da tal associação e dos seus membros.»

  • Como é evidente possuo cópias de toda esta troca de correspondência, a qual demonstra que a mentira continua a ser uma arma ao serviço dos desígnios políticos de um senhor que, embora sendo titular de um grau académico que lhe confere o direito a um tratamento  de Professor Doutor, não revela o carácter e  o civismo que justifiquem que eu retire as aspas ao “professor”.

Anúncios