Etiquetas

Algumas centenas de professores reuniram-se hoje nas Caldas da Rainha, na sequência de vários encontros presenciais que têm ocorrido desde Janeiro e de muitos encontros na rede, seja através de emails, de blogues e/ou de fóruns em que participam professores.
Como se poderia esperar que acontecesse, começaram ainda antes da assembleia algumas acções que revelam, ou uma vontade expressa de desinformar, ou a necessidade de escrever sobre o que não se sabe. Um dos exemplos pode encontrar-se no título de uma notícia de hoje do Expresso: Professores contra governo e sindicatos. Como pôde verificar quem esteve na reunião (poderiam ter lá estado jornalistas que quisessem investigar o assunto), ninguém teve qualquer palavra de hostilidade contra os sindicatos.

http://educar.wordpress.com/2008/02/23/e-muito-importante-passar-a-mensagem/

Esta reunião visou encontrar uma plataforma de acção capaz de congregar e potenciar o enorme descontentamento que dia a dia aumenta nas escolas do país.
A agenda, apesar de exigente, foi cumprida de acordo com as expectativas dos promotores da reunião. Reuniram-se professores oriundos de escolas de todo o país que, individualmente ou acompanhados por colegas das suas escolas, quiseram juntar a sua voz ao protesto.

Ficou claro desde o início da reunião que a associação tem apenas um verdadeiro inimigo: as políticas educativas desenvolvidas pelo governo, em particular as que prejudicam o direito dos professores a uma carreira e a uma avaliação promotora e indutora de maior qualidade do ensino, para além de terem como efeito a degradação do processo de ensino/aprendizagem e da certificação das aprendizagens escolares.
Todos os intervenientes na assembleia, que durou quase quatro horas, foram lapidares quanto ao posicionamento equidistante relativamente a partidos e a sindicatos.
Da mesma forma ficou também claro que a associação e respectivos sócios se revêm numa acção em que se pretendem somar esforços e não dividir professores. Nesse sentido foram feitas diversas declarações de adesão a toda e qualquer manifestação que vise lutar contra as políticas educativas deste governo, independentemente de os seus promotores serem sindicatos ou outras organizações de professores.

Quanto às deliberações da assembleia, a mesa que dirigiu a reunião irá divulgá-las brevemente, para o que criará um site com um fórum interactivo em que os sócios poderão participar.

Anúncios